A comunidade científica internacional está em alerta, tentando determinar a trajetória do laboratório espacial chinês Tiangong-1.

Conforme sua estimativa, ele está fora de controle e poderá colidir contra a Terra em 2017.

O astrofísico da Universidade de Harvard, Jonathan McDowell, afirmou em uma entrevista concedida ao jornal britânico The Guardian: “a verdade é que não é possível controlar esses objetos. Mesmo uns dois dias antes de entrar na atmosfera, é provável que não se saiba quando ele vai despencar, o que se traduz em ‘não sabemos onde [vai cair]’”.

Embora McDowell acredite na hipótese do governo chinês de que grande parte da estação será destruída ao cruzar a atmosfera, ele adverte que partes consideráveis poderão sobreviver ao impacto e se chocar com o solo terrestre, causando danos incalculáveis.

O laboratório Tiangong-1 foi colocado em órbita em 2011 e esteve em funcionamento até maço deste ano. Ele possui 10.4 metros de altura, 3.3 de diâmetro e pesa 8.5 toneladas.

As autoridades chinesas estão monitorando o módulo e estão otimistas com relação à sua colisão. Em uma entrevista coletiva, Wu Ping, o subdiretor do escritório de Engenharia Espacial Tripulada, explicou: “com base nos nossos cálculos e análises, a maior parte do laboratório espacial queimará durante a queda. É improvável que isso afete as atividades aéreas ou cause danos à Terra”.

Fonte: ABC

Related Posts