A empolgante descoberta do Proxima B deixa em evidência um projeto milionário do físico britânico, que usa microssondas na busca vida inteligente extraterrestre.

Há muito a astronomia não se empolgava tanto como nesta semana, após a descoberta do planeta Proxima b. Localizado a 4,2 anos luz da Terra – algo que é considerado próximo, astronomicamente falando -, o planeta orbita uma estrela chamada Proxima Centauri e pode ter água e condições favoráveis para a vida. Mas o objeto mais veloz construído pela humanidade, a sonda Voyager 1, levaria milhares de anos para chegar à Proxima Centauri (isso, claro, se já estivesse voando em direção à estrela).

Mas o que Stephen Hawking, o famoso físico britânico, tem a ver com isso? É que junto com o bilionário russo Yuri Milner, ele patrocina um projeto chamado Breakthrough Starshot, que pretende explorar justamente a Alpha Centauri, a constelação onde está a Proxima B.


Starshot

O Starshot deverá receber US$ 100 milhões (cerca de R$ 320 milhões) nos próximos anos para desenvolver microssondas com tamanho e peso menores que os de um smartphone, apelidadas “starchips”, conectadas a “velas” reflexivas, que seriam infladas por poderosos lasers instalados em solo. Com isso, hipoteticamente, seria possível acelerar o conjunto a uma velocidade em torno de 160,9 milhões de km/h, o que permitiria que as sondas alcançassem Proxima Centauri num prazo de 20 a 30 anos.

“O que nós torna únicos é a capacidade de transcender nossos limites. A gravidade nos coloca no chão, mas criamos o avião. Eu perdi minha voz, mas ainda posso falar (vítima de uma doença degenerativa, o físico de 72 anos fala graças a um software desenvolvido especialmente para ele). Como transcender esses limites? Com nossos cérebros e nossas máquinas”, disse Hawking, durante o lançamento do projeto, em abril deste ano – sem ainda saber da descoberta do Proxima B.

Para ele, o limite que nos desafia atualmente é o “imenso vazio entre nós e as estrelas”, que pode ser confrontado “com a nave espacial mais leve já criada”, atingindo Alpha Centauri ainda nesta geração.

Veja mais no vídeo abaixo:

Fonte: History

Related Posts