A chuva de meteoros Perseidas terá seu pico na noite de quinta e madrugada de sexta-feira. Nasa prevê o dobro de explosões este ano.

Cientistas esperam ansiosos a noite desta quinta-feira, 11, e a madrugada de sexta, 12. Segundo a Nasa, por volta da meia-noite até o amanhecer, teremos a maior chuva de meteoros do ano graças à inflência da gravidade de Júpiter.

A chuva de meteoros Perseidas, assim chamada porque os meteoros vêm da direção da constelação de Perseus, é causada por detritos deixados pelo cometa Swift-Tuttle. A cada 133 anos, o enorme cometa cruza o Sistema Solar e deixa para trás um rastro de poeira e detritos. Quando a Terra passa pela região, os fragmentos se chocam com a atmosfera a aproximadamente 225.000 quilômetros por hora e se desintegram em explosões de luz.

A novidade deste ano é que haverá o dobro de explosões – cerca de 200 por hora. Quando esses pedaços de poeira batem na atmosfera da Terra, explodem e produzem o que parecem ser “estrelas cadentes”.

Desde a década de 1990, a Nasa conta com modelos computacionais para prever com mais exatidão o horário e a intensidade das chuvas de “estrelas cadentes”. Este ano, os modelos mostram que a gravidade de Júpiter tem arrastado pedaços do cometa deixado para trás durante suas órbitas em 1862, 1479 e 1079. “É por essa influência da gravidade de Júpiter que teremos uma intensidade maior de explosões na chuva de Perseidas”, explica Bill Cooke, especialista em meteoros da Nasa.

Como visualizar a chuva de “estrelas cadentes”

Para conseguir visualizá-la, o ideal é fugir da cidade onde a eletricidade pode ofuscar a luz das estrelas. Ao chegar em um lugar afastado das luzes artificiais, permita que seus olhos descansem por cerca de 45 minutos até se adaptar ao escuro.

Outra dica é baixar um aplicativo no celular que localize no céu a constelação de Perseus. Assim, você não perde tempo olhando para o lugar errado. Para uma melhor orientação dos observadores, os astrônomos deram às chuvas de meteoros nomes parecidos com os das constelações pelas quais elas passam. As estrelas de Perseus formam uma espécie de formato em “Y” ou “V” e os meteoros parecem ser disparados do ponto central desta constelação.

Confira também as dicas da especialista da Nasa:

Fonte: History

curta_fanpagedeixe-seu-comentario

Related Posts