A NASA já está construindo sua própria versão do propulsor.

A revista científica “Science Alert” revelou que um propulsor sem combustível, patenteado no Reino Unido, tornaria possível viajar a Marte em apenas algumas semanas. Teóricos argumentam que o motor é impossível, pois desafia leis da física. A NASA, no entanto, já está fazendo o seu.

 

A novidade é uma versão melhorada do EmDrive, um motor que gera micro-ondas que, por sua vez, armazenam-se no ressonador, transformando a radiação em força de impulso. O novo protótipo conta com uma lâmina supercondutora que reduz a mudança de frequência das ondas eletromagnéticas à medida que elas são propagadas na cavidade do motor, aumentando consideravelmente a propulsão.

O EmDrive foi criado pelo engenheiro britânico Roger Shawyer e, de início, desafia algumas das principais leis da física mecânica. Alguns cientistas afirmaram que o funcionamento do motor é impossível, pois parece violar a lei de Newton sobre a conservação do momento linear.

 

Diferentemente de um foguete, nada sai dele. Não sei como você pode gerar movimento de nada“, disse John Ellis, do CERN, ao site da BBC.

 

Os engenheiros, no entanto, são mais práticos, e acrediram que se o experimento funciona, são os físicos que terão que encontrar uma teoria para explicá-lo. Após vários anos de pesquisas bem-sucedidas, a NASA começou a construir sua própria versão do propulsor.

 

Essa nova tecnologia permitirá que milhões de dólares sejam economizados em combustível durante a exploração espacial. Sua potência impressionante promete viagens interplanetárias mais curtas e muito mais baratas para as próximas gerações. Os testes e os debates continuam.

 


Fontes: Science AlertRT, BBC

Imagem: EmDrive.com

Related Posts